NOTA PARA INICIAR A LEITURA DESTE BLOG: Ao ler este blog, você encontrará algumas palavras com a letra "x" no lugar dos artigos masculino e feminino "o" e "a". Essa substituição é feita na literatura libertária para subverter a linguagem machista, na qual o sexo masculino é priorizado, e para contrapor o binarismo de gênero, ideia que teoriza existir apenas os gêneros masculino e feminino, não levando em consideração transgêneros e afins. Portanto, a letra "x" é utilizada no lugar dos artigos em palavras em que o sexo não é determinado. Ex.: ao invés de dizer "outros", utiliza-se "outrxs", pois estamos falando de todo e qualquer tipo de gênero.

OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Este e-zine foi escrito em 2010, baseando-se na minha vivência pessoal dentro do movimento punk até o ano em que publiquei os textos, considerando a cena da cidade de São Paulo entre os anos de 2002 e 2010. De lá para cá, alguns pontos de vista foram amadurecendo, o senso crítico foi aumentando e, com isso, alguns dos textos podem não estar atualizados e de acordo com as novas experiências adquiridas ao longo de quase 6 anos passados após a edição deste e-zine. Coloco-me à disposição para trocar informações e debater ideias, com o intuito de manter o punk sempre vivo e ativo: mao_veg@hotmail.com . ÊRA PUNK! (nota adicionada em dezembro de 2015)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

CAPÍTULO VII – O PUNK E SUAS VISÕES DISTORCIDAS

Falei um pouco sobre a importância em não centralizar a luta libertária e sobre o perigo de se tornar sectárix perante as diferenças individuais. Devemos também nos atentar sobre pessoas que ingressam dentro do movimento punk sem saber de fato o que é nossa ideologia e nossa cultura.

Nós punks temos uma inimiga fundamental que distorce o verdadeiro ideal que carregamos e atrai algumas pessoas de má fé para junto de nossa contracultura. Essa inimiga é a mídia corporativa. Através de falsas informações, matérias sensacionalistas e infundadas, distorção dos fatos e outras artimanhas com apoio governamental e estatal, dignas de inquisidores fascistas que perseguem o povo que se insurge perante as injustiças, a mídia acaba passando a visão de que xs punks são baderneirxs, desorganizadxs, rebelde sem causa, bandidxs (quem se rebela contra a repressão é bandidx. Agora, se você é político e desvia verbas públicas, então você é digno de prestígio perante o sistema) entre outros adjetivos ignorantes.

Infelizmente, muitxs jovens acabam acatando o que a mídia empurra. E o pior: se interessam por essa visão distorcida do punk! E saem por aí com roupas extravagantes, xingando a tudo e a todos, brigando sem quaisquer motivos. E acham que isso é ser punk.

E a distorção não para por aí. Existem pessoas que tem conhecimento sobre o punk, mas na hora de agir, agem completamente diferente do que pregam, do que o punk propõe. É a velha história da hipocrisia.

Ser punk não é ser sujx e malvadx, colar na frente de galerias e intimar pessoas que passam, beber até cair porque isso é “subversivo”, bater nos outros sem razão... Não! Ser punk não é isso!

E axs que pensam que para ser punk é preciso ser assim, esqueçam! Para ser punk não é necessário ser malvadx, mal-encaradx, grosseirx, sujx. Ser punk é ser você mesmx. Pode ser delicadx, sensível, cheirosx, gordx, magrx, altx, baixx, falar formal ou coloquialmente... O que vai te fazer punk é a atitude e a vontade que você tem de mudar a sociedade!

Existe tanto punks mais agressivxs (agressivxs na forma de se portar, de falar) quanto punks mais delicadxs.

Punks nunca usam da violência sem que haja uma justificativa para tal ato. Aliás, é importante registrar que a maioria dxs punks são pacíficxs e não utilizam a violência. Claro que em todos os meios, seja no meio punk ou não, existem pessoas violentas. Mas isso nunca foi característica do ideal punk em si, mas sim da individualidade do militante, que pode ou não recorrer à violência de alguma maneira. Nesse caso, vale ressaltar que a violência é sempre empregada contra o fascismo, nunca contra o povo oprimido.

Àquelxs que estão no punk por que acham que é uma postura de gente brava que impõe medo, por favor, não gastem seu tempo! O punk é união e a solidariedade, portanto, uma demonstração de cordialidade para com x próximx.

Um comentário: