NOTA PARA INICIAR A LEITURA DESTE BLOG: Ao ler este blog, você encontrará algumas palavras com a letra "x" no lugar dos artigos masculino e feminino "o" e "a". Essa substituição é feita na literatura libertária para subverter a linguagem machista, na qual o sexo masculino é priorizado, e para contrapor o binarismo de gênero, ideia que teoriza existir apenas os gêneros masculino e feminino, não levando em consideração transgêneros e afins. Portanto, a letra "x" é utilizada no lugar dos artigos em palavras em que o sexo não é determinado. Ex.: ao invés de dizer "outros", utiliza-se "outrxs", pois estamos falando de todo e qualquer tipo de gênero.

OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Este e-zine foi escrito em 2010, baseando-se na minha vivência pessoal dentro do movimento punk até o ano em que publiquei os textos, considerando a cena da cidade de São Paulo entre os anos de 2002 e 2010. De lá para cá, alguns pontos de vista foram amadurecendo, o senso crítico foi aumentando e, com isso, alguns dos textos podem não estar atualizados e de acordo com as novas experiências adquiridas ao longo de quase 6 anos passados após a edição deste e-zine. Coloco-me à disposição para trocar informações e debater ideias, com o intuito de manter o punk sempre vivo e ativo: mao_veg@hotmail.com . ÊRA PUNK! (nota adicionada em dezembro de 2015)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

CAPÍTULO XII – LIBERTAÇÃO HUMANA E ANIMAL *


Mulheres, homens, crianças, idosxs... Todos exploradxs! Todxs destratados perante esse sistema! Somos usados apenas como meio de satisfazer a vontade de grandes capitalistas, praticamente (ou literalmente) escravizadxs, sem possibilidade de escolhas, sem possibilidade de participação em importantes decisões.

O sistema nos prende, nos faz servi-lo, nos direciona ao caminho da dor, do sofrimento e da morte.

Durante toda a história nos deparamos com abusos de poucxs privilegiadxs sobre uma maioria de desfavorecidxs – o que caracteriza a ditadura. Ou seja, para quem pensa que a ditadura acabou, reveja seus conceitos. Ela ainda existe, só que camuflada. Por aqui, a ditadura se chama “democracia representativa”, uma tentativa estúpida de ludibriar o povo – e podemos citar o massacre europeu axs nativxs do continente americano na época da colonização, a escravidão de negrxs em séculos passados, a perseguição de judeus pela política nazista alemã, a violência aceita e dogmatizada do homem contra a mulher em diversos campos sociais – incluindo campos religiosos –, entre tantos outros casos ditatoriais e de índoles fascistas.

E como se não bastasse tanta exploração de um ser sobre outro, quando deveríamos caminhar todxs juntxs pelo bem geral, ainda assistimos o mundo e sua diversidade serem devastados! Vemos o meio ambiente sendo destruído para que esse sistema desigual seja expandido, para que mais seres sejam explorados, para que mais capitalistas ganhem fortunas enquanto milhares sofrem e às vezes nem têm o que comer! Hoje respiramos ar poluído, sofremos com o aquecimento global, sujamos e ignoramos a natureza, tudo por conta de um sistema que não nos permite viver em harmonia com os seres e com o mundo.

O punk luta contra tudo isso! O punk não se conforma que tantos seres sejam explorados para satisfazer o prazer de poucxs! O punk não se conforma com a destruição de um mundo que pode ser aproveitado e cuidado por todxs!
Eis que entro em um ponto ignorado ou desrespeitado por muitxs punks: a questão da libertação animal em prol dos ideais libertários.

Quando falamos em acabar com as desigualdades e com o preconceito, contra a exploração e contra a devastação do meio ambiente, torna-se necessário olhar com atenção para a causa animal.

Assim como os seres humanos, os animais também têm sentimentos, sentem medo, dor, afeição e tantas outras coisas que todos os seres sencientes (seres vivos que possuem a capacidade de ter sentimentos e sensações) possuem. Não é porque os animais não sabem falar ou não possuem polegar opositor que eles são inferiores. As pessoas certamente não comeriam um bebê só porque este não sabe falar ou usar suas capacidades motoras. Tentar justificar a exploração e o assassinato de algum ser vivo senciente é, sem dúvida, sádico.

O que os nazistas fizeram aos judeus, os humanos fazem aos animais! Não há distinção! Os humanos aprisionam animais, maltratam, exploram e os utilizam da forma que bem entenderem, sem levar em conta os sentimentos e dores que causam a estes animais. Tudo para desfrutar de algum prazer que não é indispensável ao ser humano. Especismo (a ideia de que uma espécie de vida é superior à outra) também é racismo!
Para que causar dor e exploração a alguém? Ainda mais seguindo na luta libertária! Isso é um tanto contraditório!

E o problema não para por aí! Se nós, libertárixs, nos importamos com a preservação do meio-ambiente e com a fome mundial, é ainda mais absurdo virar a cara para as causas de libertação animal! A criação de gado e de animais de consumo gastam muito mais recursos, espaço, água e energia do que o cultivo de alimentos de origem vegetal. A criação de gado devasta milhares de hectares de terra! Para quem quer botar a culpa dessa devastação no cultivo de soja, sinto informar, mas estima-se que cerca de 80% da soja produzida no mundo vira ração para a criação de gado, para que esse gado vire “comida”, sendo que essa soja destinada ao gado de consumo poderia alimentar populações famintas. No entanto, não seria interessante para o comércio expor esses dados. As pessoas comem carne, financiam a exploração e enriquecem grandes empresas capitalistas. Se essas empresas se enriquecem, qual o problema em fazer populações passarem fome? Bem. Eu vejo um grande problema nisso!

A questão da libertação animal vai muito além de uma dieta. A dieta vegetariana não é a luta em si. É apenas o começo para findar a exploração e a devastação ambiental!
Nós, libertárixs, não podemos nos habituar a quaisquer tipos de repressão, massacre e ditadura que sejam! A exploração animal foge do ideal libertário, querendo ou não. É necessário saber enxergar isso!

Ok. Se você é libertárix e não quer militar pela libertação animal, é uma escolha sua. Mas pense muito bem antes de criticar umx vegetarianx, um veganx ou umx protetorx dos animais, pois elxs podem estar fazendo muito mais pelo mundo do que você.


* Texto também utilizado pelo coletivo T@P@ @tivismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário